home natural    
   
Divulgação

  Anuncie
Mostre sua marca para o mundo da borracha
Garanta seu espaço!

  Revista Lateks
Única publicação especializada
em heveicultura no Brasil
Compre!

Agenda

ABC

Tempo

 

 
     ASSINATURAS      Newsletter      Anuncie      Fale Conosco      Política do Site     
WRS2018 | Brasileiro discute sustentabilidade e certificação na heveicultura (conteúdo aberto) PDF
23/04/2018

Camila Gusmão

O desenvolvimento de uma certificação nacional para a produção da borracha natural bem como os modelos sustentáveis de heveicultura no Brasil serão assuntos discutidos durante o World Rubber Summit (WRS) 2018, evento que acontece nos dias 7 e 8 de maio em Colombo, antiga capital do Sri Lanka.

A palestra “Opportunities and challenges for sustainable development of rubber industry in Brazil” (Oportunidades e desafios para o crescimento sustentável da indústria de borracha no Brasil, em tradução livre), será proferida por Fernando do Val Guerra, diretor executivo da Associação Brasileira de Produtores e Beneficiadores de Borracha Natural (Abrabor).

LATEKS/ Heiko Rossmann

Certificação pode ser caminho para 'descomoditizar' a borracha brasileira 

Hoje, mais de 90% da produção mundial de borracha natural se concentra na Ásia, apoiada em uma política social na qual a grande maioria dos agricultores está em propriedades de um hectare e meio, de base familiar e de subsistência.

“O problema começa quando esta política social é tratada de forma populista, ou seja, mesmo quando os preços caem por excesso de oferta, os governos locais continuam dando sustentabilidade para a produção mediante políticas de compra da produção. Diante deste cenário, por todo o sudoeste asiático, a população expande a cultura em áreas de floresta, promovendo o desmatamento ilegal. A situação se agrava quando se observam as péssimas condições de trabalho do seringueiro asiático”, afirma Guerra.

Segundo o executivo, a alta concentração da produção da commodity traz riscos climáticos, ambientais, sociais e geopolíticos.

“O Brasil tem um potencial enorme para mitigar estes riscos, e a certificação da produção da borracha nacional é o caminho para ‘descomoditizar’ a borracha natural brasileira e se buscar atender um nicho de mercado que poderá remunerar melhor este diferencial”, destaca.

Como aderir à certificação

O modelo para a certificação apoiado pela Abrabor e deliberado pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Borracha Natural (CSBN), vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), é o da Produção Integrada Agropecuária, modelo este já utilizado por outras culturas.

A adesão a esta certificação é voluntária e, além de diferenciar o produto, a adoção de boas práticas agrícolas promove a redução dos custos de produção trazendo, consequentemente, maior rentabilidade para os produtores rurais.

O principal benefício ao consumidor está em ter acesso a um produto seguro, com origem conhecida e produzido em conformidade com as boas práticas agrícolas, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável e o respeito à natureza.

Depois de cumpridas as etapas de certificação, com o cumprimento das normas técnicas especificas, registros de campo e de colheita, grade de defensivos e auditoria de terceira parte realizada por fiscais do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o produto ganha o selo oficial “Brasil Certificado”. A exemplo, o selo acompanha há muito tempo produtos agrícolas brasileiros exportados para a Europa.

De acordo com Guerra, além do quesito ambiental, a certificação levará a uma melhora da competitividade da produção nacional. “A produtividade na heveicultura possui hoje um desnível enorme, variando de 400 quilogramas de borracha seca por hectare por ano a mais de 2.000 quilogramas de borracha seca. Ter um padrão mínimo de boas práticas agrícolas deve ajudar também na produção”, explica.

Sustentabilidade na indústria

As maiores fabricantes de pneus do mundo já firmaram o compromisso com o meio ambiente e a produção sustentável dos insumos dos seus produtos.

“A indústria pneumática já declarou o compromisso com a produção sustentável. O mundo está mudando e, em breve, consumidores podem exigir o selo que certifica a sustentabilidade do produto ‘pneu’. É uma oportunidade para o Brasil poder oferecer este tipo de produto”, finaliza.

Certificação a caminho

A relação dos membros que integram a comissão para a elaboração da Norma Técnica Específica da Produção de Borracha no Brasil visando a futura certificação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) no último dia 9 de abril.

Além da Abrabor, integram o grupo representantes da Associação Brasileira da Indústria de Artefatos de Borracha (Abiarb), Associação dos Heveicultores do Estado de Mato Grosso (Ahevea), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e Sociedade Rural Brasileira (SRB).


A LATEKS, empresa mantenedora do site Borracha Natural, é parceira de mídia oficial do World Rubber Summit (WRS) 2018.


 

Permitida a reprodução total ou parcial, desde que citada a fonte.

 

 
< Anterior   Próximo >
   
   
© 2009-2018 LATEKS COMUNICACAO LTDA. Todos os direitos reservados.
Rua Campos Salles, 1753 - Vila Boyes - CEP 13416-310 - Piracicaba-SP
Atendimento preferencial por e-mail: fale@borrachanatural.agr.br
Supported by
lateks